Imagem

Imagem

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Preciso voar, minha alma anseia



Sabe um desejo que sempre se teve? Desses que, simplesmente, se sente e não se sabe como explicar? Sabe quando algumas coisas não se encaixam? Quando nada faz sentido? Quando tudo não te sacia? Quando você se sente perdida, no lugar errado? Pois é, sinto-me assim desde que me entendo por gente...
Ainda não pude me realizar, mas sinto que tenho que continuar tentando, que há algo que preciso viver, descobrir, realizar... Pode ser loucura, mas, às vezes, fico angustiada porque não entendo a demora. Outras, prefiro acreditar que "tudo tem seu tempo" e que esse tempo ainda não chegou porque tenho que vivenciar coisas que me serão necessárias. Enfim, são apenas divagações... Tomara que a minha alma cumpra o que ela anseia. E, mais importante, que sejam coisas boas!

"Em algum lugar do mundo alguém está esperando por mim". 

Clarice Lispector

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Niver do blog... 2 anos



Durou bastante! Quando comecei não imaginava, mas me apeguei a este cantinho.... Mesmo não sendo tão assídua e sem repercussão, com pouquíssimos comentários, esse é um espaço para dividir o que me vai na cabeça, no coração e na alma, mesmo que, às vezes, não escreva tudo o que acontece de fato ou que gostaria. Seria enfadonho, se é que já não o é! rs. Enfim, vamos prosseguindo, esperando que, a cada dia, boas novas cheguem!

La teta asustada

Tenho assistido a uns filmes tão bons! Hoje, indico este filme cheio de sensibilidade, que adorei ter visto. Segue, em vídeo, a sequência, em que a protagonista canta uma de suas canções. Este é um momento lindo do filme!

video

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Subir pelo lado que desce


"'Viver é subir uma escada rolante pelo lado que desce'.  Ouvindo esta frase, imaginei qualquer pessoa nessa acrobacia que as crianças fazem ou tentam fazer: escalar aqueles degraus que nos puxam inexoravelmente para baixo. Perigo, loucura, inocência, ou uma boa metáfora do que fazemos diariamente?  Poucas vezes me deram um símbolo tão adequado para a vida, sobretudo naqueles períodos difíceis em que até pensar em sair da cama dá vontade de desistir. Tudo o que quereríamos era taparmos a cabeça e dormirmos, sem pensarmos em nada, fingindo que não estamos nem aí…  Porque Tanatos, isto é, a voz do poço e da morte, nos convoca a cada minuto para que, enfim, nos entreguemos e acomodemos. Só que acomodar-se é abrir a porta a tudo aquilo que nos faz cúmplices do negativo. Descansaremos, sim, mas tornando-nos filhos do tédio e amantes da pusilanimidade, personagens do teatro daqueles que constantemente desperdiçam os seus próprios talentos e dificultam a vida dos outros.  E o desperdício da nossa vida, talentos e oportunidades é o único débito que no final não se poderá saldar: estaremos no arquivo-morto. Não que não tenhamos vontade ou motivos para desistir: corrupção, violência, drogas, doença, problemas no emprego, dramas na família, buracos na alma, solidão no casamento a que também nos acomodamos… tudo isso nos sufoca. Sobretudo, se pertencermos ao grupo cujo lema é: Pensar, nem pensar… e a vida que se lixe.  A escada rolante chama-nos para o fundo: não dou mais um passo, não luto, não me sacrifico mais. Para quê mudar, se a maior parte das pessoas nem pensa nisso e vive da mesma maneira, e da mesma maneira vai morrer? Não vive (nem morrerá) da mesma maneira. Porque só nessa batalha consigo mesmo, percebendo engodos e superando barreiras, podemos também saborear a vida. Que até nos surpreende quando não se esperava, oferecendo-nos novos caminhos e novos desafios.  Mesmo que pareça quase uma condenação, a idéia de que viver é subir uma escada rolante pelo lado que desce é que nos permite sentir que afinal não somos assim tão insignificantes e tão incapazes.  Então, vamos à escada rolante: aqui e ali até conseguimos saltar degraus de dois em dois, como quando éramos crianças e muito mais livres, mais ousados e mais interessantes.  E porque não? Na pior das hipóteses, caímos, magoamo-nos por dentro e por fora, e podemos ainda uma vez… recomeçar". 

Lya Luft

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Que corpo...

video

Assistindo ao vídeo publicitário da Armani com Cristiano Ronaldo fiquei até sem fôlego... Que corpo! Primeiro, ele aparece apenas de cueca; depois, com uma calça. E olha que ele nem me agrada muito, acho-o metrossexual demais para o meu gosto, mas aquele abdômen "tanquinho"... Ai, meu Deus! Que perdição...

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Nosso Lar e as voltas que a vida dá


Ontem fui ao cinema assistir ao tão comentado Nosso Lar. Trata-se de um filme com temática espírita, de uma série de filmes que o cinema brasileiro vem produzindo com esta temática., como Bezerra de Menezes e Chico Xavier

O que posso dizer é que é um filme reflexivo, bom para que nos questionemos sobre a nossa própria vida e, pessoalmente, creio que isto é válido! 

Como é boa a idéia de que esta vida não é a principal, que já vivemos outras e ainda viveremos outras mais, sempre em busca de aprendizado. Que tudo na vida tem uma razão de ser e, que muitas vezes, nós mesmos pedimos isso, como um desafio para a vida atual...

Independente de que crença se siga, pensar em melhorar como ser humano é muito importante para si mesmo e para as pessoas com quem convivemos. Se todos nos esforçássemos para sermos mais amáveis, tolerantes e respeitosos com as diferenças alheias tudo seria muito melhor. Entretanto, há aqueles que creem* ser os "donos da verdade" e eu sei bem como é porque, infelizmente, minha irmã é assim... Só ela está certa, não respeita a diferença dos outros e adora criticar, esquecendo-se de olhar para si mesma...

*nova forma de escrita, após a reforma ortográfica, estou tentando me adaptar ainda, é muito estranho.

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Baunilha e Chocolate - SVEVA CASATI MODIGNANI


"24 de Maio, Domingo

Querido Andrea, desgraça da minha vida, tantas vezes ameacei ir embora, e nunca o fiz. Agora, vou-me embora. Sabes como sou lenta, mas tenaz, nas minhas decisões.
Em dezoito anos de casamento fui medindo o teu egoísmo, a tua capacidade de mentir, os teus medos, a tua infantilidade.
Não quero saber como te vais arranjar sem mim, uma vez que, sozinho, não és sequer capaz de abrir uma lata de cerveja.
Se quiseres sobreviver, vais aprender a ocupar-te de ti próprio, dos nossos três filhos, do zoo da casa. Não vai ser tarefa fácil dar ordens à empregada, que tu amavelmente defines como 'a cretina', nem entenderes-te com a irmã Alfonsina, que nos ameaça com o castigo perpétuo se não baptizarmos o pequeno Luca, com a tua mãe, que desaparece de casa dia sim dia não e depois é preciso esquadrinhar a cidade para a encontrar, com o psicólogo da Lucia, com o Damele, com brincos por todo o lado e que, aos quinze anos, ainda faz chichi na cama, com as contas que há para pagar nos Correios e as que há para pagar no banco, com os justificativos do IRS e com a lista diária das compras. Vais ter de andar de um lado para o outro, entre a escola e o infantário, entre a aula de judo para o Daniele, a piscina municipal para o Luca e a escola de dança para a Lucia. Vais ter de arranjar um canalizador para o autoclismo que verte e que neutralizar legiões de formigas gigantes que saem de um buraco na varanda e que são refractárias a todo e qualquer veneno.
Vais ter de enfrentar tudo isto e mais ainda, porque eu não vou estar aí a tentar, inutilmente, tapar as fendas de um barco destinado ao naufrágio.
Pergunto a mim própria como conseguirás encontrar o tempo e a vontade para praticar os teus desportos favoritos: as mentiras, as traições, o desinteresse pelos nossos filhos.
Tirando um breve e maravilhoso parêntesis, que se passou há muito tempo, fui durante anos a escrava devota de um patrão arrogante.
Sei que fui tua cúmplice neste jogo perverso e sei que suportei ofensas e injustiças porque tinha medo de ficar sozinha.
No fim de tudo, a tua falta de respeito foi mais forte do que o meu medo da solidão.
A minha condição é idêntica à de milhões de outras mulheres. Somos todas vítimas conscientes e vivemos na esperança de um amanhã melhor, de um golpe de magia que consiga mudar a situação.
Quantas vezes, cansada de engolir sapos, tentei demover-te do teu egoísmo. Foi tudo inútil. Compreendi que as palavras não servem para nada, escorrem como a água. 0 que conta são os factos. Por isso decidi agir.
Ao fim de dezoito anos de casamento, já não me fascinas. Como poderia imaginar que o homem por quem me apaixonei era apenas uma criança que se recusa a crescer?
Quando nos casámos, eu era demasiado jovem e insegura para compreender isso.
Culpa minha, da minha necessidade de ser aprovada por toda a gente, sobretudo pela minha mãe. Ela queria para mim um marido tradicional. Eu fiz-lhe a vontade.
E encontrei como companheiro o típico macho tirano que põe e dispõe da mulher, enquanto que os nossos filhos são aquilo que me poderia acontecer de mais complicado. Ninguém se conforma com as suas próprias derrotas e não há dúvida de que a Lucia, o Daniele e o Luca são a prova do meu fracasso. Mas já não tenho vontade de me sentir culpada por isso. A partir de hoje, vais ter de te entender com eles.
Amo-os apaixonadamente, como te amei a ti. Deixo-os com dor e afasto-me de ti com um sentimento de libertação.
Já não suporto a tua duplicidade, o teu narcisismo, o teu falso papel de pai-companheiro, generoso, compreensivo, que compra para os filhos os presentes que eu lhes nego, que ouve as suas mentiras, grandes e pequenas, com uma benevolência que não te pertence. Tu és o pai bom, eu sou a mãe má. Tu és o que permite, eu sou a que proíbe.
De cada vez que ouso encostar-te à parede, ficas furioso e partes tudo aquilo a que deitas a mão.
A fúria é a única resposta que sabes dar quando te chamo às tuas responsabilidades. Depois vais-te embora, batendo com a porta de casa. Houve um tempo em que temia que não voltasses. Eu era a vítima que tem medo de ser abandonada pelo próprio carrasco. Escondi piedosamente a tua infantilidade aos nossos filhos, mas eles perceberam e estão confusos e perdidos.
Desgraça da minha vida, não imaginas o rancor que acumulei e a dor que me causa abandonar os meus filhos. Ai de ti, se não tomares conta deles. Vou para Cesenatico, para casa da minha avó, porque preciso de estar sozinha.
Diz aos nossos filhos que me podem telefonar em qualquer altura, quer para o telemóvel, quer para casa. Naquilo que te diz respeito, porém, deves aparar o meu jogo e fazer de conta que fiz umas férias para descansar. Não penses em vir buscar-me. Se o fizesses, digo-te já que voltaria apenas para levar as crianças e deixar-te para sempre. Por isso, se queres à nossa família, não fales nem apareças.
Agora estás sozinho com as tuas responsabilidades e, pela primeira vez, com os teus filhos. Espero que se possam ajudar uns aos outros.
 
Penelope" *

*Texto em português (Portugal).

(MODIGNANI, 2002, p. 8-10)

Este trecho faz parte do livro Baunilha e Chocolate, de Sveva Casati Modignani. O livro já começa assim, frenético! Este desabafo poderia ser o de tantas mulheres (algumas até conheço), mas que por medo, insegurança, falta de amor próprio não o fazem, submetendo a tudo em nome de normas e de agradar aos outros. Ainda não li todo o livro, por isso, escreverei outra vez sobre ele. Como o descobri? Bem, pesquisando sobre novos autores, me deparei com esta escritora italiana e logo me interessei. Agora, tenho alguns livros dela e de outros autores bem interessantes para ler... Que coisa ruim, não? Ahaha. Alguém conhecia esta autora? Já leu algo dela? Mais informações sobre a escritora podem ser encontradas aqui e aqui.

Até mais!!!

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Looks Emmy Awards 2010 - Os melhores

Lindo, muito elegante! Claire Danes veste Armani Privé
Vestido princesa, amei! Dianna Agron veste Carolina Herrera
Sóbrio e elegante! Emily Blunt veste Christian Dior
Vibrante e com estilo! January Jones veste Atelier Versace
Amei! Lea Michele veste Oscar de La Renta
Amo vermelho, achei lindo! Olivia Munn veste Zac Posen
Básico e elegante! Jayma Mays veste Burberry
Básico e elegante! Mariska Hargitay veste Vera Wang
Como uma deusa grega, lindo vestido! Kim Kardashian veste Marchesa
Lindo, só achei exagerado o decote traseiro! Maria Menounos veste Ralph & Russo
Romântico e lindo! Jewel veste Zuhair Murad
Um dos meus preferidos, lindíssimo! Sofia Vergara veste Carolina Herrera

Looks do Emmy Awards 2010 - Os piores

Este aqui achei tão sem graça...
Amy Poehler veste Max Azria
Estranho... Anna Paquin veste Alexander McQueen
Que vestido desajeitado ou seria a modelo!? Christina Hendrick veste Zac Posen
Sem graça, nada de "encher os olhos"... Eva Longoria veste Robert Rodriguez
Estranhíssimo, foi uma surpresa... Ela sempre acerta! Heidi Klum veste Marchesa
Que laçarote feio, também não gostei da cor/tecido. Jane Krakowski veste Escada
Feio! Kelly Osbourne veste Tony Ward

Parece que ela foi passear à beira-mar... Keri Russell veste Vintage Scherrer
Troféu abacaxi... Horrível!!!! Mindy Kaling veste Kotur
Bonitinho, não gostei da parte traseira. Rose Byrne veste Gucci

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Antes e depois das famosas... Porque, às vezes, o tempo é um aliado

Vendo as fotos abaixo, do antes e depois das famosas, conclui que o tempo pode ser muito bom em todos os sentidos... No visual, na maturidade, nos relacionamentos etc... Vejam!

Demi Moore aos 27 anos e atualmente, aos 47
Halle Berry aos 25 e hoje, aos 43
Jennifer Aniston aos 21 e aos 41 anos
Jodie Foster aos 25 e hoje, aos 47 anos
Julia Roberts aos 22 e 20 anos depois, aos 42
Julianne Moore aos 32 e atualmente, aos 49 anos
Madonna aos 32 e aos 52 anos
Nicole Kidman aos 21 anos em 1989 e hoje, aos 43
 Rachel Weisz aos 20 e aos 40  


Liz Hurley aos 24 anos e aos 45
Uma Thurman aos 20 e aos 40
Teri Hatcher aos 26 e aos 45 anos
Sarah Jessica Parker aos 23 anos e aos 45  

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Biografia Patrick Dempsey

 
Ontem assisti à biografia do lindíssimo ator Patrick Dempsey. Adoro o Dr. Derek Shepherd, o Mcdreamy, de Grey's Anatomy. Já conhecia o ator de filmes anteriores, mas confesso que achava sem graça. Afinal, como o tempo fez bem a ele, não? É como vinho, precisou de um tempo para ficar delicioso... rsrrsrs.

Bem, o que queria comentar sobre a biografia dele e que reflete na vida de cada um é: há pessoas que passam por nossas vidas para mostrarem que não servem, mas são necessárias pra um aprendizado maior, que nem mesmo nós sabemos... Importantes e dispensáveis a longo prazo!

Me identifiquei muito com a história deste ator... Ele sempre enxergou grandes coisas, não se enquadrava naquilo que estava à sua volta e foi atrás do que procurava. Teve inúmeras dificuldades, mas conseguiu! É uma história bonita! Descobri ainda que ele é disléxico, mas superou/supera esta dificuldade com coragem. Vale a pena conferir... O link é este aqui.

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Canções que me inspiram - Sorte - Caetano Veloso e Gal Costa

video

Sorte

Composição: Celso Fonseca/Ronaldo Bastos
Interpretada por Caetano Veloso e Gal Costa

 
Tudo de bom que você me fizer
Faz minha rima ficar mais rara
O que você faz me ajuda a cantar
Põe um sorriso na minha cara...
Meu amor, você me dá sorte
Meu amor!
Você me dá sorte meu amor!
Você me dá sorte
Na vida!...
Quando te vejo não saio do tom
Mas meu desejo já se repara
Me dá um beijo com tudo de bom
E acende a noite na Guanabara...
Meu amor, você me dá sorte
Meu amor!
Você me dá sorte meu amor!
Você me dá sorte
De cara!...
Tudo de bom que você me fizer
Faz minha rima ficar mais rara
O que você faz me ajuda a cantar
Põe um sorriso na minha cara...
Meu amor!
Você me dá sorte meu amor!
Você me dá sorte meu amor!
Você me dá sorte na vida!...
Quando te vejo não saio do tom
Mas meu desejo já se repara
Me dá um beijo com tudo de bom
E acende a noite na Guanabara...
Meu amor!
Você me dá sorte meu amor!
Você me dá sorte meu amor!
Você me dá sorte
De cara! (Na vida!)...
Meu amor!
Você me dá sorte meu amor!
Você me dá sorte meu amor!
Você me dá sorte
Na vida!...
De cara! Na vida!...
Meu amor!
Você me dá sorte meu amor!
Você me dá sorte meu amor!
Você me dá sorte
Na vida! (De cara!)...

Essa música é linda e as vozes destes cantores me encanta... Sao mestres imbatíveis!

domingo, 8 de agosto de 2010

Ser ou não ser?



Acompanhadas de três amigas, uma delas evangélica, em uma palestra da igreja, um jovem confessou-se virgem, aos 28 anos e noivo, prestes a se casar em setembro; pouco tempo depois, uma das minhas amigas vira-se para a outra, não-evangélica e virgem, com a mesma idade do jovem da palestra, e diz: “acho que você devia ser evangélica, ainda é virgem!”. Após o ocorrido, essa amiga veio me contar que se sentiu constrangida com o que havia ouvido, respondendo àquela opinião da seguinte maneira: “sou virgem por opção, tive relacionamentos, mas me recuso a transar por transar, com uma pessoa que me não trate de forma decente!” e era verdade, seus relacionamentos sempre foram ruins, homens grosseiros e que não combinavam com ela, por isso, não duravam muito tempo e, ela, romântica ainda espera, ao menos, encontrar alguém que ela se sinta segura e atraída o suficiente para iniciar a vida sexual, o que concordo. Ela disse que não entendeu o comentário da nossa amiga como maldade.

Como pesquiso sobre as relações de gênero, pensei: “está aí um grande tema de discussão...”. A partir destes fatos, me coloquei no lugar desta amiga e fiquei me perguntando: hoje, a virgindade não é nada, não que eu ache que deva ser algo supervalorizado como antigamente, mas a opção a transar deve ser de cada um ou não? Por que não ser mais virgem para mostrar aos outros, quando essa não é a vontade? Há uma idade limite para ser virgem?
Na sociedade pós-moderna, o sexo está banalizado demais, vive-se numa época de relações momentâneas e superficiais, a vida sexual é iniciada cada vez mais cedo e, de forma, até irresponsável, muitas vezes. Mary Del Priore, em História do amor no Brasil (2006), afirma:

Hoje, elas ‘dão’, mas não se dão. Está certo. Se a revolução sexual foi, antes, considerada uma libertação diante das normas de uma sociedade puritana e conformista — a burguesa e vitoriana — ela, atualmente, promove uma sexualidade mecânica, sem amor, reduzida à busca do gozo. Já há quem diga que tal banalização está levando a um contra-ataque: uma corrente neoconservadora, nascida na década de 1990, nos Estados Unidos, começou a reagir contra as derivas do liberalismo sexual (DEL PRIORE, 2006, p. 12).

Não sou favorável à volta aos padrões morais e sexuais rígidos, mas, ao menos, cabe a cada um decidir sobre sua vida e seu corpo. Quanto aos avanços feministas, penso: até que ponto essa banalização é boa? Foi para isso que as mulheres lutaram tanto? Sexo é bom, gostoso e saudável, contudo, creio que as heroínas feministas não pensaram na degradação feminina, pois os homens já não têm qualquer respeito e, as mulheres, vulgarizadas, estampadas em revistas masculinas, TV etc., servem de inspiração para a mulher moderna, como se o corpo e o prazer momentâneo fossem mais importantes que a consciência e a vontade da razão. Talvez, por isso, Nelson Rodrigues, na crônica Inimiga pessoal da mulher, escrita em 17 de abril de 1971, considerou o feminismo e as idéias de Betty Friedan como “inimigas das mulheres”, por acreditar que queriam transformar a mulher em “um macho mal-acabado, que precisa voltar à sua condição de macho”.

Ora, antigamente, o homem não podia manter-se virgem, isso era obrigatório e mesmo padrão, ai daqueles que tentassem, eram chamados de maricas (gays); os homens deveriam começar a vida sexual bem cedo e ter inúmeras mulheres, enquanto às mulheres, deveriam manter-se virgens até o casamento. Hoje, elas também já se iniciam cedo, assim como os homens, porém, há um padrão de negação da virgindade e, muitas meninas, começam a vida sexual pressionadas pelas amigas, como se fosse um peso, mas onde fica a vontade pessoal nisso tudo? Cabe pensar sobre isso... Apoio a decisão da minha amiga, a considero corajosa e com personalidade; se ela não se sente à vontade ainda, não importa a idade... O melhor é que seja com alguém que a estimule o suficiente e que seja prazeroso (por mais difícil que isso seja, na primeira vez!)... rsrsrs. E vocês o que acham?

terça-feira, 27 de julho de 2010

sábado, 19 de junho de 2010

Inesquecível Saramago


Deixo aqui uma pequena e singela homenagem a este grande escritor:

"Há ocasiões que é mil vezes preferível fazer de menos que fazer de mais, entrega-se o assunto ao governamento da sensibilidade, ela, melhor que a inteligência racional, saberá proceder segundo o que mais convenha à perfeição dos instantes seguintes". 

"Nós estamos a assistir ao que chamaria de morte do cidadão e, no seu lugar, o que temos, e cada vez mais, é o cliente. Agora já ninguém te pergunta o que pensas, agora perguntam-te que marca de carro, de roupa, de gravata tens, quanto ganhas…"

José Saramago (1922-2010)

sábado, 15 de maio de 2010

Homem 'mais sortudo do mundo' dispensa fortuna ganha na loteria

Li este artigo aqui e fiquei pensando... Este homem, com certeza, é o mais sortudo do mundo! Concordo com ele: "Dinheiro não traz felicidade", mas pondero que facilita e muito a vida. Eu, por exemplo, saberia direitinho o que fazer e como gastar! :-D. No mais, como tudo na vida, há o bem e o mal!

sexta-feira, 14 de maio de 2010

Digital Camera Photographer of the Year

Digital Digital Camera Photographer of the Year é um dos maiores concursos mundiais de fotografia digital e o período de inscrições estão abertas, através do site. Lá, inclusive, há um cronômetro do tempo restante para participar. Então, mãos e criatividade à obra! Eu não participarei, ainda sou muito amadora, mas me apaixonei por estas fotos abaixo. Boa sorte aos participantes!




quinta-feira, 25 de março de 2010

Idas e vindas do amor




Olá, voltei à blogsfera! Após um período imersa nas minhas pesquisas do mestrado, conclui o 1º capítulo e me qualifiquei. Foi tudo muito bom e produtivo! O trabalho foi bem elogiado na qualificação, então estou seguindo no rumo certo, graças a Deus! :D. Mas vamos ao que interessa aqui...

Há duas semanas, fui ao cinema e assisti ao filme Idas e vindas do amor, que conta a seguinte história:

"[...] Um grupo de habitantes de Los Angeles com pouco em comum, cujas
vidas se cruzam, em meio a romances e corações partidos, durante um Dia dos
Namorados. Casais e solteiros vivenciam os altos e baixos de encontrar, manter ou
terminar relacionamentos no dia do amor".

O elenco é estrelado... Jessica Alba, Jessica Biel, Bradley Cooper, Eric Dane, Patrick Dempsey, Hector Elizondo, Jamie Foxx, Jennifer Garner, Topher Grace, Anne Hathaway, Queen Latifah, Shirley MacLaine, Emma Roberts, Julia Roberts, Taylor Lautner, Taylor Swift, Ashton Kutcher, Carter Jenkins, Brooklynn Proulx. Enfim, muita gente bonita...

O filme inicia contando as histórias isoladas e, com o tempo, revela os laços entre uma e outra... Tem a mesma estrutura do filme Ele não está tão afim de você, aliás, me lembrou muito este filme por diversas vezes. Esta produção trata sobre as questões que envolvem um romance, tem momentos engraçados e românticos. Vale a pena a ida ao cinema por ser uma trama leve, mas não traz grandes novidades, tanto na temática quanto na estética. Alguém assistiu? O que achou?

Bjoss


video

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

Sem internet...

Olá pessoal, tudo bem com vocês? Espero que sim. Eu estou bem :)! Estou muito ausente daqui... É que fiquei sem internet em casa. Já estou resolvendo isso e, em breve, estou de volta.
Quanto ao concurso de fotografia, não ganhei, claro! Rsrsrs. Minhas fotos não estavam tão boas a esse ponto! Obrigada aos que votaram para me ajudar!!! :D.
Terminei de escrever o 1º capítulo da dissertação, graças a Deus! Agora, é só acrescentar e corrigir as observações da minha orientadora!
Bem, até mais então!!! Bjos à tod@s...

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Que desastre... que tristeza

Oi gente... Que tragédia esta que aconteceu no Haiti... Um país já carente de tantas coisas e agora completamente devastado. Além disso, quantas vidas se perderam nesta catástrofe! Milhares de haitianos, até agora 11 militares brasileiros e D. Zilda Arns *... Muitas pessoas que estavam ali a serviço, a servir os outros com seus trabalhos voluntários... É tudo muito triste!!! O mundo deve ficar de luto e tomar providências urgentes... Tem acontecido tantos fênomenos que parece que a história do filme "2012" está, realmente, em vias de acontecer.Termino este post com a frase:

"Pense no Haiti, reze pelo Haiti" - Caetano Veloso

*(25/08/1934 – 12/01/2010) - Médica pediatra e sanitarista brasileira. Foi fundadora e coordenadora nacional e internacional da Pastoral da Criança e da Pastoral da Pessoa Idosa, organismos de ação social da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), que ajuda milhares de crianças e idosos. Por seu trabalho, foi indicada ao Prêmio Nobel, em 2006; recebeu diversos prêmios nacionais e internacionais por seu voluntariado. Foi um exemplo de solidariedade e doação aos menos favorecidos.

“Amar é acolher; amar é compreender; amar é fazer o outro crescer" - Zilda Arns
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...